Nutrição e cuidado dos caballos
Filtrar conselho
Seleção

 

Alimentação inteligente para prevenir problemas de estômago

As úlceras gástricas dos cavalos são um problema pouco valorizado. Uma boa gestão da alimentação pode evitar muitos problemas, mas fica a pergunta: o que se deve ou não se deve fazer?

Há mais cavalos a sofrer de problemas de estômago do que o que pensamos. As úlceras gástricas são chagas no revestimento do estômago produzidas em consequência da erosão da membrana mucosa protectora. Há muito tempo que se sabe que as úlceras gástricas são um problema que afecta os cavalos de corrida, uma vez que, frequentemente, recebem uma alimentação que consiste em muita ração e pouca fibra. Actualmente, ficou claro que há muitos cavalos e póneis fora deste desporto que sofrem também de problemas gástricos.

Qual é a causa?
A alimentação e a sua administração desempenham um papel fundamental no aparecimento de problemas de estômago. De acordo com a veterinária da Pavo, Veerle Vandendriessche: «Os cavalos selvagens ingerem quase sempre alimentos pouco calóricos e com muita fibra. O processo de mastigação produz saliva, que acalma a acidez dos sucos gástricos. Isto significa que, se um cavalo não mastigar o suficiente, não produz saliva suficiente e aumenta assim o risco de sofrer de úlceras gástricas. A presença constante no estômago de massa alimentar com alto teor de fibra neutraliza a acidez. Nos cavalos que não ingerem fibra continuamente, o ácido gástrico pode actuar de modo negativo, o que irá afectar a membrana mucosa do revestimento do estômago. Isto pode também ser provocado pelo stress ou por se dar demasiada ração numa só dose.

O estômago do cavalo é pequeno e, por isso, enche-se com facilidade. Se não estiver cheio, o ácido pode entrar em contacto com a parte superior do estômago, onde a membrana não é tão grossa. Além disso, produz-se muito menos saliva ao mastigar ração do que a processar fibra». Veerle explica que o stress faz com que o corpo produza substâncias que tornam o revestimento do estômago (mucosa) mais sensível. «Os cavalos ficam stressados quando não satisfazem as suas três necessidades mais importantes: fibra sem limite, liberdade de movimentos e contacto com outros cavalos».

O esforço intenso pode causar problemas porque obriga o estômago a contrair-se mais, fazendo com que o conteúdo ácido da parte inferior entre em contacto com a parte superior, menos protegida.

O que se deve fazer?
Um guia alimentar pode prevenir muitos problemas. Considerações a ter:

  • Proporcionar fibra (pasto, forragem)

Quanto mais o cavalo mastigar, melhor, por isso dê-lhe fibra ao longo de todo o dia. Dê-lhe fibra também durante a noite porque, ao contrário dos humanos, os cavalos não dormem a noite toda. Se está preocupado que o seu cavalo engorde demasiado administre fibra de baixo conteúdo calórico e tente abrandar a ingestão utilizando, por exemplo, uma rede de feno com buracos pequenos. Não é possível verificar o conteúdo da fibra no que concerne a nutrientes, mas se fizer uma analítica à forragem, poderá facilmente saber quanta energia, tipo de fibra e proteína esta contém.

  • Liberdade de movimento

Na natureza os cavalos movem-se dia e noite, bem diferente da hora de treino que lhe costuma proporcionar. O movimento tranquilo e livre é importante para o cavalo e a sua saúde e o pasto é a forma mais agradável de estimulá-lo. Se não for possível, um paddock seco ou um pátio grande podem ser alternativas. Para evitar que o seu cavalo fique num canto, sem se mexer, distribua a fibra em diversos pontos da área onde se encontra.

  • Contacto social

Os cavalos são animais de manada. O contacto com outros cavalos é muito importante para eles, caso contrário, ficam stressados. 

  • Evite o stress prolongado

Os cavalos são capazes de suportar um pouco de stress, que nem sempre se consegue evitar, como por exemplo uma visita ao veterinário ou um choque com outros cavalos no pasto. O stress crónico é o que pode, efectivamente, desencadear problemas de estômago. Para evitá-los certifique-se que se satisfazem, tanto quanto seja possível, todas as suas necessidades mais importantes (fibra ad libitum, contacto social, liberdade de movimentos).


O que não se deve fazer?
 

  • Grandes porções de ração

O estômago do cavalo é relativamente pequeno, como muito poderá processar 1,5 kg por toma. Se o seu cavalo necessitar de alimento concentrado para manter o seu nível de energia, dê-lhe porções mais pequenas, distribuídas em tantas tomas quanto seja possível ao longo do dia.

  • Exercício com o estômago vazio

Antes de lhe dar a ração, dê-lhe fibra. A grande quantidade de saliva e a massa de alimento com elevado conteúdo de fibra amortizam o ácido gástrico. O melhor será dar a ração apenas depois do exercício. Se treina o seu cavalo dentro das 2 horas após ter comido, o seu nível de açúcar no sangue será relativamente baixo, que é precisamente quando não tem energia.

  • Muito tempo sem mastigar

Não deixe o seu cavalo sem fibra (feno) durante muito tempo. Dê-lhe fibra também quando for a uma competição. A vantagem acrescida é que mastigar reduz o stress.


Novo: Pavo Ease & Excel

Para poderem levar a cabo o seu trabalho, os cavalos de desporto que tenham um trabalho moderado‑intenso necessitam de um determinado nível de energia. A fibra sem acompanhamento nem sempre é suficiente para satisfazer esta necessidade, por muito boa que seja. Complementá-la com um alimento concentrado é uma opção óbvia, mas ingredientes como os cereais contêm açúcares simples e amido, que por sua vez têm um efeito negativo sobre o estômago e o restante sistema digestivo. Este aspecto levou a Pavo a criar uma ração especial para cavalos de desporto, quase sem cereais, para proteger o estômago. De acordo com a veterinária da Pavo especializada em equinos, Veerle Vandendriessche: «O nosso novo Pavo Ease&Excel contém ‘superfibras’ procedentes da soja, da polpa de beterraba e da luzerna, que o tornam delicioso, e ajuda os cavalos a mastigarem durante mais tempo. Contém também uma mistura especial de ingredientes naturais que neutralizam o ácido gástrico, reforçam a imunidade gastrointestinal e mantêm a flora saudável. Tem um elevado conteúdo de gordura, que proporciona energia de libertação lenta e fomenta um bom metabolismo muscular, conseguindo, adicionalmente, uma pelagem brilhante e cascos saudáveis».

Pavo Ease&Excel está pensado para cavalos de desporto. Continua Veerle: «Mas este alimento também é adequado para todos os tipos de cavalos que treinam com frequência, para cavalos que são muito nervosos e para o que stressem naturalmente».


Pavo Ease&Excel

Alimento inovador para melhorar a função gástrica

Como diagnosticar os problemas gástricos?

As úlceras gástricas são visíveis apenas com um endoscópio no estômago, mas há alguns sinais que indicam que o seu cavalo tem problemas de estômago

  • Come menos?
  • Range os dentes? Brinca com a ração?
  • Boceja com frequência? Tem cólicas com frequência?
  • Tem fezes moles? Está letárgico?

Este tipo de alterações no comportamento pode indicar que algo não está bem. Se tem dúvidas, consulte o seu veterinário.

Vai Bruntink, cavaleira de dressage: “O maneio da alimentação é muito importante para nós”

«Tivemos vários cavalos que sofreram de úlceras gástricas. Agora não, porque solucionamos o problema. Somos muito cuidadosos com a administração da alimentação. Por exemplo, damos-lhes sempre forragem, antes de lhes dar a ração. Dividimos a ração em três pequenas porções diárias. Normalmente, dou Pavo Ease&Excel aos cavalos propensos a sofrer de úlceras gástricas. O que mais me chama a atenção é que os cavalos adoram. Ficam com muito bom aspecto, com uma pelagem brilhante e também muita energia, sem ficarem nervosos. Ao dar-lhes Pavo Ease&Excel sei que estou a fazer tudo o que posso para manter os meus cavalos saudáveis. Uma vez que estão em excelente forma com esta alimentação, estou também a pensar dá-la aos meus outros cavalos de desporto».